• Cartórios de Protesto

FINAL DE ANO CHEGANDO E VOCÊ JÁ SABE O QUE FAZER COM O 13º SALÁRIO?

Atualizado: 1 de Dez de 2020

Confira cinco dicas para utilizar esse dinheiro com sabedoria


Muitos trabalhadores aguardam ansiosamente a chegada do final do ano. Os motivos para isso vão muito além das festas e tradições desse período. A tão desejada primeira parcela do 13º deve ser depositada aos trabalhadores no próximo dia 30 de novembro. E é em dezembro que a conta bancária fica mais volumosa graças à chegada da segunda parcela, que normalmente é depositada no dia 20.


Só que a alegria de ter mais dinheiro no bolso, muitas vezes, atrapalha o foco nas finanças pessoais. Em um ano como 2020 é ainda mais importante utilizar com sabedoria o 13º salário, por isso, o Instituto de Estudos de Protesto do Rio Grande do Sul (IEPRO-RS) preparou cinco dicas para salvar o seu orçamento.-




1 – PAGAR DÍVIDAS

O pagamento de dívidas deve ser a primeira opção na mente de qualquer devedor quando um dinheiro extra aparece. Antes de sair pagando as contas, entretanto, é preciso listar todas as dívidas e dar prioridade para as que trazem as maiores consequências para a sua vida financeira. “O cartão de crédito, por ter juros muito elevados, deve estar no topo da lista de prioridades. As dívidas protestadas também devem receber uma atenção especial, pois quando o devedor está com o nome sujo muitas dificuldades aparecem, inclusive na hora de ser contratado em outro emprego” alerta o presidente do IEPRO-RS, Romário Pazutti Mezzari. Outra dica importante é entrar em contato com o credor e tentar renegociar a dívida. A regra é escolher a opção que melhor se adapte ao seu orçamento: dividir em parcelas que você possa pagar ou buscar um desconto através de um pagamento à vista. O importante é encontrar uma solução que você realmente consiga encaixar no seu orçamento.


2 – RESERVA FINANCEIRA

Se você já pagou todas as suas dívidas com o 13º salário e ainda sobrou dinheiro (ou não tinha dívidas para pagar) a dica é fazer (ou engordar uma já existente) reserva financeira. Também conhecida como “colchão de liquidez”, a reserva deve ser utilizada apenas em situações de emergência para cobrir despesas com doenças, consertos de carros ou para se manter durante um período desempregado. Não vale utilizar a reserva para fazer compras! O ideal é ter um valor guardado equivalente a seis meses de despesas (coloque no papel quanto você gasta por mês, multiplique por seis e descobrirá quanto precisa guardar). Ao receber o seu 13º salário você decidirá quanto irá para a reserva financeira dependendo do valor que já tem guardado. Se está começando a montar o colchão de liquidez agora deverá utilizar uma parte maior do salário extra.


3 – GASTOS ANO NOVO

Tão importante quanto pagar as dívidas do passado é pagar as dívidas do futuro. E não pense que estamos falando de presentes, festas ou bebidas! Os gastos do ano novo são aqueles que aparecem nos primeiros meses e apesar de não serem nenhuma surpresa, ainda causam dor de cabeça. “O 13º salário deve ser utilizado para os gastos de início de ano como IPTU, IPVA, rematrícula da escola, material escolar, etc. O importante é calcular todas as despesas iniciais de 2021 e aproveitar os descontos que são oferecidos para quem faz pagamentos à vista. No caso do IPVA, motoristas sem infrações, participantes da Nota Fiscal Gaúcha e que adiantam o pagamento do imposto podem conseguir um desconto de mais de 20%”, lembra Mezzari.


4 – INVESTIMENTOS

Outra ótima opção é investir o 13º salário. Mas lembre-se: antes de iniciar qualquer investimento você precisa estar sem nenhuma dívida, pois os juros das contas em atraso tendem a ser maiores que a renda do dinheiro aplicado. Outra dica é pesquisar muito antes de escolher onde alocar seu 13º salário. Desconfie de aplicações milagrosas que prometem retornos altos em um curto período de tempo. Os investimentos em renda fixa como CDB e Tesouro Direto são os mais seguros e previsíveis. Já quem busca investir em renda variável, como em ações da Bolsa de Valores, precisa pesquisar antes sobre as empresas, os setores e o cenário econômico. É necessário refletir que uma ação que é lucrativa ou está na moda hoje pode não ter o mesmo desempenho a longo prazo. Invista sempre pensando no futuro.


5 – COMPRAS

Não vamos ignorar o fato de que com um dinheiro a mais no bolso e com tantas ofertas de final de ano é difícil evitar completamente as compras. “Não estamos pedindo que as pessoas não utilizem o cartão de crédito, mas o importante é comprar com inteligência”, explica Mezzari. Se for realizar compras, não avalie apenas se a parcela cabe no seu orçamento, mas pense em todas as outras contas que você já tem e reflita se somadas elas não irão causar uma bola de neve. Procure comprar à vista e barganhar descontos. Também gaste apenas com itens necessários: evite comprar por impulso ou produtos supérfluos. Na dúvida volte para casa e pense mais alguns dias se aquela compra é realmente importante.


0 comentário

Fale conosco

O Instituto de Estudos de Protesto do Rio Grande do Sul (IEPRO-RS), associação sem fins lucrativos, tem como objetivo congregar os profissionais dos serviços notariais do Estado, promover debates e pesquisas de interesse profissional que visem aprimorar o sistema de protesto de títulos.

contato@protestors.com.br

51 3062.0745 

R. Comendador Caminha, 300  

CEP: 90430-030

Moinhos de Vento | Porto Alegre 

Rio Grande do Sul - Brasil