contato@protestors.com.br

51 3062.0745 

Rua Padre Chagas 79, 401

Moinhos de Vento | Porto Alegre 

Rio Grande do Sul - Brasil 

Buscar
  • Renata M

IEPRO-RS participa do 73º Encontro Estadual de Tabeliães de Notas e Protesto do RS

Atualizado: 28 de Out de 2019

Na tarde dessa sexta-feira (25) teve início o 73º Encontro Estadual de Tabeliães de Notas e Protesto do Rio Grande do Sul, no centro de eventos do Hotel Deville, em Porto Alegre, com a participação do Instituto de Estudos de Protesto do Rio Grande do Sul (IEPRO-RS).



Em seu discurso de abertura, o presidente do IEPRO-RS, Romário Mezzari, parabenizou a organização do evento em nome do presidente do Colégio Notarial do Rio Grande do Sul, Ney Paulo de Azambuja, e destacou os desafios que virão com as regulamentações do provimentos 86, 87 e 88, aprovados pelo Conselho Nacional da Justiça (CNJ), e das inovações tecnológicas que atingem o Protesto. “Somos uma parte deste enorme contexto onde as inovações já começaram e em velocidade cada vez maior. Precisamos renovar e dar atenção ao que as modernas tecnologias têm nos imposto”, disse.


Romário ressaltou, ainda, a importância da união da serventia e colocou o IEPRO-RS à disposição dos Cartórios. “É importante que todos saibam e confiem que o Instituto está aqui para auxiliar todos os Tabelionatos de Protesto, sem distinção”, finalizou.


Dando seguimento, o presidente do Conselho Federal do CNB, Paulo Roberto Gaiger Ferreira, apresentou o novo sistema que está em implantação cuja função é simplificar e agilizar o processo nos Tabelionatos. "O E-notariado tem a capacidade de ser a maior rede de certificação digital do país. O sistema já está funcionando. Até o final do ano estaremos com o certificado digital”, disse.


No discurso de abertura, o Presidente do Colégio Notarial do Rio Grande do Sul, Ney Paulo Azambuja, destacou a relevância de valorizar a categoria. “Necessitamos, agora, valorização de outros órgãos da sociedade. Sofremos diariamente, através da mídia e das redes sociais, ataques à nossa atividade, taxada de burocrática, desnecessária e onerosa. Tudo originado do desconhecimento”. Afirmou, ainda, que a entidade é uma esfera profissional cada vez mais importante para a Nação e que a modernização dos serviços prestados pelos Cartórios é de extrema importância. “O país precisa de nós. São milhões de brasileiros, ávidos por serviço de qualidade a um preço compatível, e isso será atingido por notários e registradores”, finalizou.


Em palestra, o juiz-corregedor do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Maurício Ramires, falou sobre os temas de interesse do notariado. Na exposição, Ramires disse que a Corregedoria está do lado do serviço Registral e Notarial, pois é um modelo de trabalho que funciona e que precisa ser reconhecido. “A modernização da classe na produção de serviços tecnológicos está servindo de exemplo para nós do judiciário. Valorizar o serviço registral e notarial é importante porque a gente sabe que a atividade é alvo de preconceito, motivado pelo desconhecimento da sociedade”. Ressaltou, ainda, que a Corregedoria-Geral do Estado não aguarda uma posição do (CNJ) para dar seguimento às suas normativas. “Fazemos o nosso serviço com independência. No âmbito da Corregedoria, nós temos vários provimentos que avançaram nos serviços. Estamos trabalhando em outras questões para a melhoria da classe, como o novo Projeto de Lei tratando dos emolumentos que será abordado no próximo ano”, completou.


Constituíram a mesa de autoridades na abertura do evento o presidente do Colégio Notarial do Rio Grande do Sul, Ney Paulo de Azambuja, o juiz-corregedor do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Maurício Ramires, o presidente do Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal, Paulo Roberto Gaiger Ferreira, o presidente do Instituto de Estudos de Protesto do Rio Grande do Sul, Romário Mezzari, o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Rio Grande do Sul, Danilo Kunzler, o presidente do Colégio Registral do Rio Grande do Sul, João Pedro Lamana Paiva, o presidente da Escola Notarial e Registral, Ricardo Kollet, o diretor de Políticas Sociais e Cidadania da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Rio Grande do Sul, Gerson Gerlach, a presidente da Associação de Registradores e Notários do Alto Uruguai e Missões, Margot Silveira de Souza, o representante da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Notários e Registradores, José Carlos Espig e o juiz de Direito de Lajeado, Luis Antônio de Abreu Jhonson.


Texto: Amanda Rossato

Supervisão: Renata de Mattos